home > Informe-se > Câncer de Próstata > Câncer de próstata e infertilidade masculina: conheça a relação

Câncer de próstata e infertilidade masculina: conheça a relação

Publicado em 3 de julho de 2020
Por: Dr. Leonardo Ortigara

Câncer de próstata e infertilidade masculina: conheça a relação

O câncer de próstata não traz somente a preocupação com a doença em si. Pacientes que desejam ser pais também precisam lidar com outro grande problema que a doença pode causar: a infertilidade masculina. Dependendo do tratamento, a produção de espermatozoides saudáveis pode ficar comprometida e afetar a capacidade reprodutiva do homem.

Ouça este conteúdo:

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os pacientes do sexo masculino, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Ainda de acordo com o INCA, foram diagnosticados 61 mil novos casos da doença em 2019; a previsão para 2020 é de que os números cheguem a 65 mil até o final do ano.

Mas afinal, qual a relação entre câncer de próstata e infertilidade masculina? Como os tratamentos podem comprometer a fertilidade? Como minimizar os riscos de ficar infértil? Continue a leitura e saiba mais!

Tratamentos para câncer de próstata podem afetar fertilidade

Os tratamentos tradicionais para combater o câncer de próstata podem acabar resultando na perda da fertilidade masculina. Além do tipo de tratamento, a infertilidade definitiva é influenciada por três fatores principais: a dose medicamentosa, a duração do tratamento e a localização do tumor. Entenda melhor como cada tratamento afeta a fertilidade:

Radioterapia

Considerada um dos tratamentos mais comuns, a radioterapia pode destruir as células responsáveis pela produção de espermatozoides, sobretudo se o tratamento for realizado em doses radioterápicas elevadas. Além disso, as células da próstata irradiada e as vesículas seminais passam a produzir menor quantidade de sêmen, que por sua vez,  não tem a mesma capacidade de transportar os espermatozoides.

Quimioterapia

Alguns medicamentos utilizados no tratamento quimioterápico podem impedir que os gametas cresçam e se dividam rapidamente. Isso acontece porque as células dos testículos são danificadas e perdem a capacidade de produzir espermatozoides maduros. Doses elevadas de medicamentos aumentam ainda mais os riscos de interromper a produção de esperma de maneira permanente. Em alguns casos, a produção de espermatozoides pode retornar dentro de 4 anos, mas dependendo da idade, tipo e dose de medicamento, a produção  é cessada completamente.

Prostatectomia

A cirurgia para a remoção da próstata – denominada prostatectomia radical – é indicada para pacientes que possuem câncer de próstata localizado, ou seja, quando a doença está confinada na próstata e dentro dos limites da cápsula prostática. Como a próstata é responsável por produzir parte do líquido seminal que serve para nutrir e transportar os espermatozoides, sua remoção implica no fim da fertilidade.

Como minimizar os riscos de infertilidade?

O avanço da medicina e de novas tecnologias têm permitido minimizar os riscos dos tratamentos oncológicas para a fertilidade masculina. Com técnicas modernas e minimamente invasivas, a cirurgia robótica revolucionou o tratamento para câncer de próstata e é capaz de minimizar, significativamente, a perda da capacidade reprodutiva do homem. Saiba mais sobre o procedimento!

Cirurgia robótica

A cirurgia robótica é realizada com o auxílio de um robô  equipado com câmera 3D e controlado à distância, permitindo que o cirurgião visualize o campo cirúrgico de forma ampla e detalhada. Os braços do robô – também controlado pelo médico – garantem maior precisão cirúrgica  e proporcionam uma operação mais segura e com menores riscos de complicações.

Muito utilizada no tratamento de câncer de próstata, a cirurgia robótica permite a retirada total do câncer sem o comprometimento de outras funções do sistema urinário e reprodutor masculino. Dessa forma, é possível preservar o controle da urina e ereção, além de manter a fertilidade do paciente. 

Vale ressaltar que o procedimento só preserva a fertilidade quando não é necessário remover a próstata. Por isso, é importante diagnosticar o câncer precocemente para que a cirurgia seja realizada nos estágios iniciais da doença.

Criopreservação de embriões

Caso o paciente opte por outros tratamentos que não sejam a cirurgia robótica, é possível realizar a criopreservação de embriões para que ele possa ter filhos em um momento futuro. Essa técnica consiste no congelamento do sêmen contendo espermatozoides para possibilitar a fecundação por meio de técnicas de reprodução assistida posteriormente. A coleta do sêmen deve ser feita antes de dar início ao tratamento do câncer de próstata.

Por mais que o paciente deseje manter sua fertilidade, tratar o câncer – independente do método escolhido juntamente a um profissional – deve ser sempre a maior prioridade. Afinal, sua saúde vem em primeiro lugar, certo? 

Quer acompanhar mais dicas sobre saúde masculina? Siga-me no Facebook e Instagram para ficar por dentro de novidades, atualizações e conteúdos exclusivos!

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698
X Balneário Camburiú Itajaí