home > Informe-se > Câncer de Próstata > Os riscos da cirurgia de câncer de próstata que você precisa conhecer

Os riscos da cirurgia de câncer de próstata que você precisa conhecer

Publicado em 15 de maio de 2020
Por: Dr. Leonardo Ortigara

Os riscos da cirurgia de câncer de próstata que você precisa conhecer

O câncer de próstata é um dos tumores malignos mais diagnosticados nos homens, e é a terceira principal causa de morte relacionada ao câncer.

Ouça este conteúdo:

Felizmente, com o diagnóstico precoce, as chances de cura podem ser aumentadas.

Mas, devido aos riscos existentes na cirurgia de câncer de próstata, é imprescindível saber qual a melhor opção de tratamento para essa condição.

Continue lendo o artigo e saiba quais são os riscos do tratamento do câncer de próstata e as opções mais seguras para tratar o problema. 

O Que é o Câncer de Próstata? 

O câncer de próstata é uma doença na qual células cancerígenas (células malignas) são formadas no tecido prostático. Um dos principais fatores de risco para o câncer de próstata é a idade. As chances de adoecer são muito baixas antes dos 40 anos, mas aumentam significativamente após os 50 anos, e cerca de dois em cada três homens com mais de 65 anos são diagnosticados com o câncer.

Para melhor compreensão, a próstata é uma glândula no sistema reprodutivo do homem, localizada profundamente na pelve, sob a bexiga e na frente do reto. O órgão é do tamanho de uma noz, e envolve a uretra (a uretra através da qual a urina é drenada na bexiga); sua função é produzir o líquido seminal.

 Sintomas do câncer de próstata

O câncer de próstata geralmente cresce lentamente, e não causa dor na próstata ou outros sintomas mais evidentes nos estágios iniciais. Geralmente, o tumor começa a crescer dentro da próstata (câncer de próstata localmente limitado). 

Mas, mesmo que já tenha crescido em tecido prostático vizinho (câncer de próstata localmente avançado), os sintomas podem confundir com outras doenças. Diante disso, é de suma importância realizar consultas periódicas com um urologista. 

Os possíveis sintomas do câncer de próstata incluem:

  • desejo de urinar com muita frequência
  • sensação de queimação ao urinar (geralmente também com inflamação do trato urinário)
  • sangue na urina (hematúria, como pedras nos rins ou ureter)
  • sangue no esperma (também ocorre com inflamação da próstata)
  • disfunção erétil (às vezes incorretamente referida como impotência)

Na presença desses distúrbios, especialmente em homens com mais de 45 anos, deve-se considerar a possibilidade de câncer de próstata. 

Quais São os Tratamentos para o Câncer de Próstata?

Hoje existem muitos tipos de tratamento para o câncer de próstata, cada um com benefícios e efeitos colaterais específicos. Somente uma análise cuidadosa das características do paciente (idade, expectativa de vida, etc.) e da doença (baixo, intermediário ou alto risco) permitirá ao urologista recomendar o tratamento mais adequado. 

O tratamento para o câncer de próstata pode incluir:

  •  cirurgia: prostatectomia radical;
  •  radioterapia / radiação (também braquiterapia);
  •  terapia hormonal;
  •  quimioterapia.

A indicação de cada procedimento terapêutico dependerá do grau do câncer ao ser diagnosticado e a avaliação geral da saúde do paciente. Se diagnosticado precocemente, a cirurgia de remoção do tumor é o procedimento mais indicado com melhores respostas e menores efeitos colaterais, mas, também, apresenta seus riscos.

Quais os riscos envolvidos na cirurgia de câncer de próstata 

Os riscos são maiores nos casos de prostatectomia radical, ou seja, a retirada total da próstata. “Esse risco sempre existe porque, dependendo se é um câncer muito avançado, se for um tumor muito grande, os tecidos ao redor são prejudicados, o que pode levar aos seguintes efeitos colaterais”, explica o Dr. Leonardo. Os principais efeitos colaterais são:

Principais riscos

Incontinência urinária: a falta de controle da bexiga. Mesmo com procedimentos cirúrgicos muito delicados, os pacientes correm o risco de ter problemas com o controle da bexiga, pelo menos algum tempo após a operação. Contudo, existem também métodos para que isso possa ser controlado. Como a neuromodulação sacral, um tratamento que utiliza sinais estimuladores a partir de um marcapasso, a fim de melhorar as funções normais do trato urinário.  

Impotência sexual: ou a falta de ereção. Esse risco é maior na prostatectomia convencional, seguido pela prostatectomia laparoscópica e apresentando o menor risco na prostatectomia assistida por robô. Isso acontece porque os nervos cavernosos, responsáveis pela ereção, podem sofrer traumas durante a cirurgia. Os homens afetados não devem ter medo de falar com seus médicos sobre esse assunto. Medicamentos ou outras medidas como o implante peniano, podem ajudar a tratar o problema. 

Outros riscos do tratamento do câncer de próstata

Infertilidade: A fertilidade, geralmente, fica comprometida quando a próstata é removida. As vesículas seminais são removidas mesmo em pacientes com tumores muito pequenos. A secreção que forma o ejaculado, com o espermatozoide, fica reduzida. Após a cirurgia, ainda é possível obter células espermáticas diretamente dos testículos, porém, não elimina esse risco da infertilidade. 

Linfedema: Os pacientes que tiveram seus linfonodos removidos têm um certo risco de linfedema (inchaço). Isso envolve o armazenamento de líquido no tecido. Quanto mais canais linfáticos no abdome inferior tiverem que ser cortados, maior o risco de que a chamada linfa não consiga mais drenar. Se você notar retenção incomum de água na parte inferior do corpo, na área genital ou nas pernas, consulte o médico quanto antes.

O risco de complicações após a cirurgia convencional de prostatectomia radical é de 30% a 40% dos casos. Por outro lado, ao optar pela cirurgia robótica, o objetivo da cirurgia será o mesmo, apresentando menores riscos de efeitos colaterais. 

Quais as Vantagens da Cirurgia Robótica?

Graças à inovadora tecnologia cirúrgica, a prostatectomia agora pode ser realizada com um procedimento que garante o mínimo de efeitos colaterais: a cirurgia robótica.

A cirurgia robótica consiste em um procedimento cirúrgico que pode ser executado com incisões muito pequenas, sem precisar de grandes cortes como nas cirurgias tradicionais, preservando as funções geniturinárias masculinas, e além disso, diminuindo para 2% os riscos de complicações como incontinência urinária e disfunção erétil.

A cirurgia assistida por robô fornece aos cirurgiões a precisão, visão e controle necessários para remover a próstata, poupando nervos e vasos sanguíneos importantes. 

E não é preciso temer a tecnologia: “A cirurgia robótica é extremamente segura, e por isso é a técnica mais utilizada no mundo. Hoje, mais pessoas são submetidas à cirurgia robótica no mundo do que à qualquer outra técnica”, assegura o Dr. Leonardo.

Os benefícios tornam essa cirurgia a opção mais segura para o tratamento do câncer de próstata, e incluem:

  • menos chances de dor 
  • estadia hospitalar mais curta 
  • retorno mais rápido às atividades diárias
  • menos riscos de desenvolvimento de incontinência urinária
  • preservação da função erétil

“Muitos pacientes têm medo dos efeitos colaterais”, explica o Dr. Leonardo. “Eles deixam de fazer o tratamento, ou vão fazer um tratamento alternativo, coisa que infelizmente não existe para alguns casos de câncer, justamente por esse medo de operar. Hoje, com a cirurgia robótica e todos os casos de sucesso, temos esperança que os homens percam o medo”. 

Como em todas as cirurgias, esses benefícios não podem ser garantidos, pois a eficácia da cirurgia depende do paciente, da condição e gravidade da doença. 

Além disso, segundo o Dr. Leonardo, a experiência do médico conta muito para a diminuição dos riscos de efeitos colaterais. O Dr. Leonardo, que trabalhou durante 8 anos como chefe de cirurgia oncológica do Unacon, realizava, junto com sua equipe, mais de 20 cirurgias todo mês. Se considerar somente as cirurgias videolaparoscópicas, o médico já fez mais de 500 procedimentos em sua carreira, e segue realizando, em média, 60 por ano. 

Sempre pergunte ao seu médico sobre o seu tempo de atuação, os diferentes métodos de tratamento e também sobre os riscos e benefícios. Com base nessas informações, é possível tomar a melhor decisão. 

Entre em contato com equipe do Dr. Leonardo  para agendar uma avaliação em Balneário Camboriú ou Itajaí.

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698
X Balneário Camburiú Itajaí