home > Informe-se > Impotência sexual > Conheça os tratamentos para a disfunção erétil

Conheça os tratamentos para a disfunção erétil

Publicado em 29 de maio de 2020
Por: Dr. Leonardo Ortigara

Conheça os tratamentos para a disfunção erétil

A ereção é um processo extremamente complexo, que envolve o cérebro, hormônios, nervos, músculos, vasos e, é claro, emoções e funções mentais superiores, como os sentidos, a memória e a atenção. Uma anormalidade em algum desses processos pode causar a Disfunção Erétil (DE). 

Ouça este conteúdo:

Fatores psicológicos como o estresse também pode agravar o problema. Na maioria dos casos, há uma combinação de fatores orgânicos e psicológicos. 

Dessa forma, esse é um problema normal e bastante comum. Só no Brasil, a Disfunção Erétil (DE) atinge cerca de 45% dos homens. 

Felizmente, existem tratamentos para a disfunção erétil que melhoram significativamente o quadro, devolvendo a saúde e vitalidade sexual.

O que é Disfunção Erétil (DE)?

A disfunção erétil (DE) ou impotência sexual, é uma condição que afeta os homens, casando a dificuldade de alcançar ou manter uma ereção durante o desempenho sexual.

É a incapacidade permanente ou transitória de obter e manter uma ereção capaz de atividade sexual e relações sexuais completas.

Essa capacidade de manter uma ereção adequada pode ser descontínua e imprevisível, ou mesmo uma tendência a manter ereções com curta duração. 

Estima-se que cerca de 20% da população masculina total em algum estágio de sua vida tenha um problema com sua função erétil. É claro que, conforme a idade avança, as chances de DE são mais altas.

Quais as causas?

 A disfunção erétil pode ser devido à diminuição do suprimento sanguíneo para os corpos cavernosos (insuficiência arterial), incapacidade de reter sangue dentro dos corpos cavernosos (escape venoso) ou uma combinação dos itens acima. As causas que podem levar a isso podem ser:

Causas psicológicas. Distúrbios como ansiedade, depressão e até estresse podem afetar a sexualidade. A preocupação excessiva com problemas de relacionamento, trabalho ou família retira a atenção, emoção e disposição para o ato sexual satisfatória. Fadiga, perda de apetite, falta de exercício, insônia ou falha também podem afetar o desempenho da função erétil. 

Causas vasculares. A artéria que fornece sangue ao pênis está sujeita aos mesmos fatores de risco vascular que qualquer outro vaso do corpo. Portanto, as causas mais frequentes de impotência vascular são: diabetes, hipertensão, aumento do colesterol, tabagismo e doenças cardiovasculares. A cirurgia na próstata, bexiga ou reto e a radioterapia na área pélvica também pode ferir esses vasos e levar a problemas de ereção.

Causas farmacológicas. Existem vários medicamentos que têm como efeito colateral a diminuição da capacidade de ereção. Entre eles estão alguns medicamentos para tratar hipertensão, doenças cardíacas e distúrbios psiquiátricos.  

Causas neurológicas. A disfunção erétil de origem neurológica ocorre quando há um problema na transmissão de ordens que o cérebro envia ao pênis através da medula espinhal. Isso acontece em lesões na medula espinhal, esclerose múltipla, diabetes, insuficiência renal ou em cirurgia pélvica. Mas também é causado por insuficiência renal crônica.

Causas hormonais. Desequilíbrios hormonais, como deficiência de testosterona, um alto nível de prolactina e um nível anormal de hormônio da tireoide, podem causar disfunção erétil.

Causas anatômicas ou estruturais. Anormalidades do aparelho genital masculino (hipospádia ou epispádia), micropênis, curvatura congênita do pênis, doença de Peyronie.

Causas traumáticas. Fratura peniana, lesões, etc. 

Cuidado com os medicamentos “milagrosos” na internet

A internet é um meio poderoso para obter conhecimentos e informações importantes acerca de qualquer assunto. Porém, existe também o outro lado negativo, que é o charlatanismo, através de vendas de medicamentos milagrosos para tratar doenças, inclusive a disfunção erétil, que é alvo de vários produtos que se dizem infalíveis para tratar o problema da impotência sexual.

Basta fazer uma rápida pesquisa na web que mostrará dezenas de “suplementos alimentares” que pretendem curar a DE. Mas, esse tipo de tratamento não é recomendado pelos especialistas, além disso, várias entidades e organizações internacionais de drogas alertam que muitas não cumprem o que prometem. 

Um estudo descobriu que as pílulas geralmente contêm medicamentos prescritos que não estão listados no rótulo, incluindo o ingrediente ativo do Viagra. Esses medicamentos podem não resolver o problema, e ainda agravar mais o quadro e desenvolver outras condições clínicas. Isso coloca os homens em risco de interações medicamentosas perigosas.

Visto que existem inúmeras causas para a DE, cada paciente deve ser tratado de forma individualizada. Portanto, é imprescindível consultar um médico urologista especializado no tratamento da disfunção erétil, para identificar qual é a principal causa e o tratamento mais adequado.

Tratamentos para a disfunção erétil

Os tratamentos para a disfunção erétil devem ser realizados apenas com o médico urologista. Existem vários tratamentos que, como mencionado, depende da causa e deve ser realizado de forma individual. Veja agora os principais tratamentos para a disfunção erétil.

Tratamento não farmacológico

Nos casos em que há um problema de ereção de origem vascular, é importante tratar os fatores de risco que o produzem: tabagismo, obesidade, estilo de vida sedentário e / ou dieta inadequada.

A perda de peso através de uma dieta saudável e equilibrada, bem como a prática de exercícios físicos regulares, podem melhorar a função sexual.

Tratamentos farmacológicos

Os inibidores da fosfodiesterase-5 (sildenafil, tadaladil, vardenafil, avanafil) são medicamentos amplamente utilizados no tratamento de problemas de ereção. Esses medicamentos são seguros e eficazes e normalizam as ereções em cerca de quatro em cada cinco homens.

Injeção peniana

A injeção peniana consiste na aplicação de medicamento usando uma agulha muito fina. Medicamentos como Viagra, Cialis ou Levitra não funcionam para todos os homens que lidam com disfunção erétil. No entanto, a terapia de injeção peniana é outra opção viável. Injetar uma agulha em seu pênis pode parecer intimidador, mas cerca de 20% dos homens estão muito satisfeitos com esta terapia.

Prótese peniana

Em alguns casos de disfunção erétil, o implante de uma prótese pode ser mais adequado.

As próteses penianas são dispositivos que são colocados dentro do pênis para otimizar sua rigidez. 

Elas são colocadas através de uma incisão no escroto que deixa uma cicatriz discreta. O período pós-operatório é geralmente curto e, após 4-6 semanas, as relações sexuais podem ser retomadas. Sensibilidade, toque e orgasmo não são afetados após a colocação da prótese.

Terapia por ondas de choque

O tratamento com o aparelho de ondas de choque de baixa pressão acústica é uma alternativa inovadora para o tratamento de disfunção erétil. As ondas são emitidas em baixa intensidade, suficiente para aumentar a circulação sanguínea no local.

A terapia por ondas de choque melhora a qualidade da ereção para pacientes que têm diabetes, Peyronie e outras doenças urológicas. É minimamente invasivo, indolor e não apresenta efeitos colaterais. 

Procure ajuda médica especializada

É de suma importância procurar a ajuda de um médico urologista a fim de preservar a saúde do homem. Disfunção erétil não é brincadeira! Portanto, nunca se automedique ou se submeta a tratamentos e medicamentos “milagrosos”.

Não exite em buscar ajuda, a Disfunção Erétil tem tratamento. Procure um urologista que ofereça confiança durante o atendimento. Entre em contato com a minha equipe para agendar uma avaliação em Balneário Camboriú ou Itajaí.

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698
X Balneário Camburiú Itajaí