home > Informe-se > Reversão de Vasectomia > FIV ou reversão da vasectomia: qual é melhor?

FIV ou reversão da vasectomia: qual é melhor?

Publicado em 29 de junho de 2021
Por: Dr. Leonardo Ortigara

FIV ou reversão da vasectomia: qual é melhor?

Seja devido a um novo relacionamento, à morte de um filho ou simplesmente pelo desejo de ser pai novamente, alguns pacientes que realizaram a vasectomia acabam se arrependendo do procedimento. A boa notícia é que é possível realizar o sonho de ter mais filhos, mas qual é a melhor escolha a ser feita: FIV ou reversão da vasectomia?

As duas técnicas possuem vantagens e apresentam boas taxas de sucesso, mas, devido às particularidades de cada paciente, são indicadas para diferentes situações. Continue a leitura e descubra quando você deve optar pela FIV ou reversão da vasectomia!

FIV ou reversão de vasectomia: entenda como as técnicas funcionam

Entender como as duas técnicas funcionam é um passo fundamental para auxiliar na escolha do método mais adequado para seu caso.

Reversão de vasectomia

A reversão de vasectomia é realizada por meio de uma microcirurgia em que os ductos são religados para permitir que os espermatozoides cheguem até a uretra e, posteriormente, sejam expelidos juntamente com o sêmen.

Por ser considerado um procedimento cirúrgico de alta complexidade, a reversão da vasectomia é realizada com o auxílio de um microscópio e fios cirúrgicos extremamente finos que permitem a junção das partes que foram desconectadas. O tempo cirúrgico é maior em comparação com a cirurgia de vasectomia, com duração de três a quatro horas.

As taxas de sucesso da cirurgia de reversão da vasectomia são consideradas elevadas, principalmente se for realizada nos 3 primeiros anos após a vasectomia. Em alguns casos, é possível que a cirurgia de reversão seja bem sucedida mesmo depois de 25 anos. Contudo, a tendência é que o sucesso na cirurgia e as chances de gravidez sejam menores conforme o passar do tempo, como mostrado na tabela abaixo:

Tempo de vasectomiaSucesso na cirurgiaGravidez
< 3 anos97%76%
3 – 8 anos88%53%
9 – 14 anos79%44%
< 15 anos71%30%

Fonte: Portal da Urologia.

FIV 

Fertilização In Vitro (FIV) é uma técnica de reprodução humana assistida que consiste na coleta dos gametas para que a fecundação seja realizada de maneira artificial em laboratório

A coleta de espermatozoides é feita por meio da punção testicular, uma técnica em que o esperma é coletado diretamente no testículo com o auxílio de instrumentos específicos. Essa técnica é totalmente possível, já que a vasectomia não interrompe a produção de espermatozoides, mas apenas promove a obstrução da passagem deles para o sêmen.

Ou seja, o paciente vasectomizado ainda apresenta células reprodutoras no líquido seminal e não é infértil, o que permite a realização da técnica de FIV. Após a coleta, os espermatozoides com maior qualidade são selecionados e, juntamente com os óvulos coletados da parceira, são utilizados para que a fertilização ocorra em laboratório.

Nos dias iniciais, o desenvolvimento do embrião é monitorado para, posteriormente, ser transferido para o útero da mulher no período ideal, aumentando as chances de sucesso no tratamento. Geralmente, a porcentagem de sucesso da fertilização in vitro varia entre 45% e 60%.

Afinal, o que é melhor: FIV ou reversão da vasectomia?

Muitos pacientes preferem optar pela reversão de vasectomia por desejar que a gravidez ocorra de maneira natural. No entanto, mesmo que permita o retorno dos espermatozoides ao líquido seminal, a cirurgia de reversão da vasectomia nem sempre é suficiente para que haja uma gravidez de forma espontânea. 

Por isso, a escolha entre FIV ou reversão da vasectomia deve considerar uma série de fatores que influenciam diretamente nas taxas de sucesso do procedimento escolhido. Os principais são:

Tempo após a realização da vasectomia

Se o paciente realizou a vasectomia há mais de 9 anos, as chances de sucesso para uma gravidez natural são relativamente baixas. Nestes casos, optar pela FIV pode ser a melhor escolha.

Técnica utilizada na vasectomia

Se a cirurgia de vasectomia não causou lesões ou ressecções extensas nos ductos deferentes, as taxas de sucesso no procedimento de reversão são maiores. Aqui, vale considerar a escolha da cirurgia de reversão.

Técnica e experiência do urologista no procedimento de reversão

Como a cirurgia de reversão é complexa e delicada, a especialização do urologista, sua experiência e habilidade em microcirurgias, além da escolha adequada da melhor técnica (vasostomia ou vaso-epididimostomia) são fatores decisivos para o sucesso do procedimento.

Idade do paciente

A qualidade e quantidade dos espermatozoides diminui conforme a idade avança. Até os 45 anos, ainda há uma boa taxa de espermas, mas por volta dos 50 anos, ocorre uma queda na produção, que pode dificultar a gravidez de forma natural.

Idade da parceira

Além da idade do homem, é preciso considerar a idade da parceira. Mulheres acima de 35 anos apresentam uma taxa de fertilidade consideravelmente baixa, o que dificulta a gravidez espontânea, e ainda aumenta as chances de malformação do feto.

Fertilidade da parceira 

Se a parceria apresentar alguma condição que afete sua fertilidade, como o comprometimento das trompas, as chances de engravidar naturalmente são bastante baixas. Por isso, a FIV pode ser mais adequada para esses casos.

Lembre-se que a escolha da FIV ou reversão da vasectomia só pode ser determinada após uma avaliação médica especializada e individualizada. Quer saber qual o procedimento mais adequado para seu caso? Agende uma consulta para avaliação individual em Itajaí ou Balneário Camboriú!

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698
X Balneário Camburiú Itajaí