home > Informe-se > Complicações renais da Covid-19

Complicações renais da Covid-19

Publicado em 8 de junho de 2021
Por: Dr. Leonardo Ortigara

Complicações renais da Covid-19

Covid-19 tem ligado o alerta de pesquisadores do mundo todo sobre os danos que ela causa no organismo. Apesar de afetar, principalmente, o sistema respiratório, novas descobertas revelam que a doença também compromete o funcionamento de órgãos importantes, como os rins. Em casos mais graves, as complicações podem evoluir para um quadro de insuficiência renal aguda.

Por ser uma doença recente e com poucos estudos conclusivos, ainda não se sabe exatamente qual a extensão das lesões renais provocadas pelo novo coronavírus ou se haverá danos permanentes a longo prazo. No entanto, já é possível avaliar complicações renais graves provocadas pela Covid-19. Confira o que se sabe até o momento sobre a relação entre a doença e problemas nos rins! 

Como o coronavírus atinge os rins?

Assim como as células do pulmão, as células renais também possuem receptores diretos para o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Ao adentrar no organismo, o vírus se liga aos receptores da enzima conversora de angiotensina 2 (ACE-2). 

Como a quantidade de ACE-2 é muito elevada nas células que revestem o túbulo proximal – um segmento do rim responsável pela maior parte da reabsorção de água e nutrientes do sangue – o órgão acaba tendo maior probabilidade de ser atingido do que outros órgãos do corpo.

Os rins também podem ser afetados de maneira indireta pelo novo coronavírus, principalmente devido ao excesso de substâncias de células inflamatórias – desencadeado como uma medida de defesa do sistema imunológico – que acabam por causar lesões às células renais.

O vírus também pode entrar na corrente sanguínea por meio da circulação pulmonar, acumular-se nos rins e, assim, provocar danos ao correto funcionamento das células renais. Há, ainda, riscos para os rins decorrentes do tratamento da doença. Como é um órgão sensível, o período prolongado de ventilação mecânica associado ao uso de muitos medicamentos pode provocar alterações nas funções renais.

Quais as principais complicações à função renal?

Insuficiência renal aguda

A principal – e mais grave – complicação da Covid-19 aos rins conhecida até o momento é a insuficiência renal aguda. A condição ocorre quando o dano renal é demasiadamente grave, fazendo com que os rins percam sua capacidade de filtrar o sangue adequadamente.

Essa complicação resulta no acúmulo de produtos residuais no sangue, o que causa uma dificuldade ainda maior para os rins manterem o equilíbrio de fluidos no organismo. Ainda não se sabe se a insuficiência renal aguda decorrente da Covid-19 é causada por efeitos citopáticos induzidos pelo SARS-CoV-2 ou por uma resposta inflamatória sistêmica resultante da tempestade de citocinas (proteínas que regulam a resposta imunológica).

Contudo, sabe-se que o novo coronavírus provoca lesões na pele e nos músculos. Como consequência desse efeito, o organismo libera uma substância denominada mioglobina, cuja função é acumular oxigênio nas células musculares para que haja produção de energia para a contração muscular.

Como é filtrada no rim, a liberação de mioglobina acaba lesionando as células tubulares renais, sendo uma das explicações para o desenvolvimento do quadro de insuficiência renal aguda. Felizmente, espera-se que boa parte dos pacientes que desenvolvem a condição tenham recuperação completa dos rins.

Coagulação intravascular disseminada

Essa condição também tem sido apontada como uma das complicações da Covid-19 para a função renal. O problema é causado pela presença de microcoágulos que se formam em vasos sanguíneos com diâmetros pequenos. Isso ocasiona menor oxigenação dos tecidos do corpo e, por realizar a filtragem do sangue, o rim é um dos órgãos mais afetados pela condição.

Alterações na circulação sanguínea

A Covid-19 pode causar um processo de empilhamento de células vermelhas no interior dos pequenos vasos, ocasionando alterações na circulação sanguínea. Como o rim recebe e filtra grande quantidade de sangue, a função renal acaba sendo comprometida devido às alterações na circulação. Em casos mais graves de problemas de circulação, pode haver lesões irreversíveis no funcionamento dos rins.

Riscos são maiores para pacientes com lesão renal aguda 

Um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (USP) revelou que pacientes que desenvolvem lesão renal aguda em virtude da Covid-19 têm maiores riscos de mortalidade e morbidade.

Esse dado vai ao encontro do que aponta a Fiocruz: o risco chega a ser cinco vezes maior do que em pacientes que não sofreram alteração na função renal. Além disso, pacientes que tiveram complicações renais decorrentes da Covid-19 necessitam de um maior tempo de permanência na UTI

Ainda é necessário mais estudos aprofundados para avaliar o impacto a longo prazo da relação entre Covid-19 e insuficiência renal aguda. No entanto, os indícios mostram que, em casos mais graves, o novo coronavírus pode afetar permanentemente a função renal em pacientes infectados.

Diante desse cenário, é importante redobrar os cuidados para evitar o contágio, sobretudo para pacientes que já apresentam algum comprometimento da função renal antes do contágio. 

Quer acompanhar todas as minhas dicas, novidades e conteúdos? Siga-me no Facebook e Instagram para ficar por dentro de todas as atualizações!

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698
X Balneário Camburiú Itajaí