home > Informe-se > Incontinência urinária > Convivendo com a neuromodulação sacral

Convivendo com a neuromodulação sacral

Atualizado em 26 de abril de 2023 |Publicado em 15 de dezembro de 2020
Por: Dr. Leonardo Ortigara

Convivendo com a neuromodulação sacral

Seja provocada pelo envelhecimento natural do organismo, por consequência de cirurgias prostáticas ou ainda por diversos outros motivos, a incontinência urinária e a bexiga hiperativa afetam significativamente a qualidade de vida do paciente.

Para contornar a situação, a neuromodulação sacral, também chamada de marcapasso neural, é um tratamento eficiente que apresenta altas taxas de sucesso na cura do problema.

Em grande parte dos casos, o paciente se acostuma rapidamente e nem se lembra da presença do dispositivo, já que é possível levar uma vida normal. Contudo, como o aparelho fica implantado no corpo do paciente, é preciso tomar alguns cuidados essenciais para evitar qualquer tipo de problema e ter mais qualidade de vida.

Continue lendo para saber mais sobre a neuromodulação sacral e entender como esse pequeno dispositivo pode mudar a vida de quem tem problemas renais.

Leia também: Incontinência urinária masculina: sintomas, causas e tratamentos

Neuromodulação sacral: recuperando a qualidade de vida

A neuromodulação sacral é um tratamento cirúrgico onde são implantados pequenos dispositivos responsáveis por emitir estímulos elétricos que agem diretamente nos nervos e conectam as vísceras pélvicas e os interneurônios espinhais ao sistema nervoso central.

Em outras palavras, o procedimento restabelece a comunicação entre o cérebro e o sistema urinário, permitindo que o paciente apresente uma resposta biológica que melhora os sintomas de incontinência urinária.

O marcapasso neural, então, faz com que o paciente recupere sua capacidade de controle sobre a micção, acabando com a perda de urina involuntária ou a urgência de urinar.

Dessa forma, o tratamento permite que o paciente tenha uma qualidade de vida muito maior, sem precisar se preocupar com a realização de hobbies, atividades físicas, tarefas diárias ou com a participação em eventos sociais.

Apesar disso, depois da realização da cirurgia, alguns cuidados são necessários, principalmente nas primeiras semanas.

O dia a dia após o implante do marcapasso neural

Após a realização da neuromodulação sacral o paciente terá um período de adaptação, onde é necessário realizar a terapia de acompanhamento para aumentar o conforto durante o seu dia a dia e garantir que o dispositivo está funcionando da forma que deveria.

Algumas situações podem exigir uma atenção especial com o marcapasso neural, mas com pequenos cuidados é possível evitar qualquer tipo de problema. Confira!

Cuidados pós-operatórios

O implante do marcapasso neural é considerado minimamente invasivo. Isso quer dizer que a sua inserção é feita por meio de uma pequena incisão na nádega superior e na parte inferior das costas.

De forma geral, o paciente recebe alta no dia seguinte e pode retornar a suas atividades diárias, de preferência sem envolver atividades mais intensas. O ideal é que na primeira semana a rotina seja mais leve para reduzir as chances de ocorrer uma complicação e contribuir para o sucesso da cirurgia.

Idas ao banheiro

Após a fase adaptativa, é possível realizar as atividades rotineiras normalmente. Com o marcapasso neural, não há mais a necessidade de ir ao banheiro com urgência, já que o dispositivo permite que o sistema urinário funcione, basicamente, como o de uma pessoa normal, eliminando a ocorrência de perdas de urina involuntárias e indesejadas.

Isso quer dizer que ao sentir vontade de urinar, você não precisa ir rapidamente para o banheiro, já que conseguirá segurar por algum tempo.

Atividades físicas

O marcapasso neural é implantado de forma a ficar o mais confortável possível para cada paciente. Em grande parte dos casos, o dispositivo fica imperceptível através da roupa. Mas dependendo do corpo do paciente, é possível observar uma pequena protuberância sob a pele. 

Contudo, não há preocupações para realizar atividades físicas. É possível praticar caminhadas, corridas e até esportes de alta intensidade sem que haja nenhum tipo de efeito indesejado. 

Mas atenção: antes de realizar qualquer atividade mais vigorosa, é necessário conversar com o seu médico para garantir que a sua cicatrização ocorreu da forma que deveria. Isso é ainda mais importante nas semanas iniciais, já que o seu corpo ainda estará se adaptando ao dispositivo.

Viagens

A neuromodulação sacral permite que o paciente aguente períodos mais longos sem ir ao banheiro, o que garante muito mais tranquilidade e conforto durante as viagens. No entanto, o dispositivo pode acionar detectores de metal em aeroportos e detectores antifurto em lojas varejistas. Para que isso não aconteça, você pode solicitar ao seu médico um cartão de identificação para atestar que você possui um marcapasso neural implantado.

Se você tiver qualquer dúvida sobre o seu dia a dia e suas limitações, o ideal é conversar diretamente com o seu médico para entender como o dispositivo impactará a sua vida, considerando a sua condição de saúde atualmente.

Quais problemas posso ter após a neuromodulação sacral?

Na grande maioria dos casos, a neuromodulação sacral não traz nenhum tipo de problema para o paciente. Em casos raros, podem acontecer alguns efeitos adversos, como:

  • deslocamento do eletrodo;
  • dor ou infecção na região, e
  • perda precoce do efeito.

Para evitar que isso ocorra, realize consultas regulares com o urologista, siga todas as orientações e, ao sentir qualquer desconforto, procure o seu médico de confiança.

Como você pôde notar, conviver com o neuroestimulador sacral promove uma grande melhora na qualidade de vida e não exige grandes cuidados durante sua rotina. Mas vale a pena ressaltar a importância de conversar com seu médico sobre os principais cuidados que você deve ter após a cirurgia.

Você sofre com incontinência urinária ou com bexiga hiperativa e não obteve resultados satisfatórios com tratamentos clínicos e comportamentais? Agende uma consulta para avaliação individual em Balneário Camboriú ou Itajaí e saiba se o marcapasso neural é indicado para seu caso.

E para ver mais conteúdos desse tipo, me siga no Facebook e no Instagram.

Material escrito por:
Dr. Leonardo Ortigara
CRM 15149 / RQE 7698